Processo de Impressão de Livro Infantil

Muita gente não tem ideia do trabalho e da quantidade de pessoas que se envolvem na produção de um livro infantil.

Por isso, fiz um video curtinho – 2 minutos – mostrando algumas etapas. Não todas, porque como são muitas pessoas envolvidas, não estive presente em todas.

Entretanto, acompanhei o processo de impressão de meu último livro, A Princesa Naselda, escrito e ilustrado por mim.

Em outubro, faremos o lançamento na Biblioteca Pública do Paraná! Darei mais informações em breve (data, horário e programação).

Espero que curta!

BIENAL… E DIZEM QUE BRASILEIRO NÃO LÊ?

Depois de muitos meses trancados em casa, mais de um milhão de pessoas decidiu ir à Bienal do Livro de São Paulo.

E também eu tive essa grata oportunidade: depois de muito tempo sem ir a eventos presenciais dessa magnitude, meu marido e eu optamos por ir à Bienal no penúltimo dia.

Morando em outro estado, é claro que compramos nosso ingresso antes. E ainda bem, pois foi isso que nos permitiu poder entrar na Bienal. Antes mesmo de terminar o evento, os ingressos esgotaram. A expectativa era de 600 mil pessoas, mas antes de acabar, já tinham vendido mais de 1 milhão de ingressos.

Chegamos lá no sábado depois do almoço, já que viajamos de carro. Uma multidão de pessoas se dirigia ao pavilhão.

Já na entrada, a Bienal se mostrava caótica. Gente pra todo lado, fileiras e fileiras de separadores para que as pessoas fizessem fila para entrar.

Lá dentro, toda aquela maravilhosa agitação em torno de um objeto milenar, que há muito tempo fascina as pessoas: o livro.

Passeando pelos corredores abarrotados de gente, filas para entrar nos stands, filas para pagar pelos livros, filas para ter os livros autografados, me veio à mente a pergunta: será que brasileiro realmente não lê?

O mercado literário está animado. Visitei alguns stands, comprei alguns livros infantis – pelo menos nos stands onde consegui entrar. Porque não teria tempo hábil para ficar em todas as filas. Era o penúltimo dia da Bienal. Nem imagino como foi no domingo.

Ver que, mesmo com a publicação digital, o livro impresso permanece um objeto tão valorizado me encheu de alegria. Há muito potencial de vendas, e está crescendo cada vez mais.

Creio que, embora venham tecnologias diversas e entretenimento de todos os tipos, o livro permanece atemporal, pois armazena ideias, histórias, fonte de incentivo e soluções, que traz informação, entretenimento e, por que não dizer, relacionamento. Afinal, quem não gosta de bater papo sobre um bom livro? E quantos filmes não são originados por um bom livro?

E teria valido a pena ir à Bienal só por esse fato. Mas a ‘cerejinha do bolo‘ mesmo foi ver meus livros nas prateleiras, encontrar pessoas com as quais só falei por email – editores e funcionários – poder abraçar novamente… enfim, ponto alto do meu mês de julho. 🙂

Já estou contando os dias para o próximo evento literário! E você, vai também?

No stand da Editora Paulinas, com alguns livros ilustrados por mim.

MANDAMENTOS DO ILUSTRADOR DE LIVROS INFANTIS

1. Digitalizarás a ilustração profissionalmente

Nessa era do smartphone, todo mundo tira fotos, edita e digitaliza documentos pelo celular. Porém, o celular não é o aparelho adequado para fazer a digitalização de uma imagem que será impressa graficamente. O ideal é usar um aparelho profissional, o scanner. Caso não tenha scanner em casa, há empresas que fazem esse trabalho e não custa mais que 10 reais. Se de fato queremos trabalhar com ilustração, devemos atuar profissionalmente.

2. Jamais utilizarás o Whatsapp no processo de digitalizar ou enviar a ilustração

O whatsapp diminui a resolução da ilustração, mesmo que tenha sido feita em scanner profissional. A imagem que você faz em A4 vai ficar do tamanho de uma figurinha depois que você enviar pelo Whatsapp.

3. Entregarás a ilustração no formato solicitado

O melhor formato para entregar sua ilustração é em jpg de 300 dpi. Por que isso?

Porque o jpg compacta o arquivo de imagem, fazendo com que não fique tão pesado, mas ao mesmo tempo não perde em qualidade.

A resolução mínima para a impressão de uma imagem é 300 dpi, pois o processo gráfico é diferente de uma imagem vista na tela. Caso contrário, a imagem poderá ficar pixelada.

4. Não usarás tinta dourada ou metálica nas ilustrações

Alguém pode argumentar: mas existem impressões com tinta dourada. Sim, de fato, mas não é que seja proibido. O problema é que, no processo gráfico, esse tipo de tinta não pode ser reproduzido pela impressora Offset. Tem que ser um processo adicional, que encarece muito a produção do livro infantil.

Por isso, ao usar esse tipo de tinta numa ilustração, pode dar a impressão de que desconhecemos o processo.

5. Jamais atrasarás a entrega de um trabalho

Não é porque trabalhamos na área considerada ‘artística’ que não devemos seguir prazos. Um ilustrador freelancer, se não seguir prazos, certamente não vai durar muito pouco no mercado de trabalho.

Eu vejo que muita gente quer trabalhar com ilustração. E às vezes me pergunto: será que querem mesmo ou será que é apenas porque pens

am que vão ganhar dinheiro com um passatempo?

A verdade é que tem gente que, depois que vê como é preciso se dedicar e produzir, já não tem mais tanto interesse.

Sim, trabalhamos com o que amamos, mas há aqueles que dizem que querem trabalhar com ilustração, mas não se dedicam, não estudam, não se aperfeiçoam… e depois querem saber por que ninguém reconhece o talento deles.

Então, quando for ilustrar, planeje seu tempo para fazer o trabalho dentro do prazo estabelecido. Isso é importante, pois há clientes que preferem ilustradores que nem são tão ‘talentosos’, mas em quem podem confiar, e que vão entregar o trabalho na data prometida.

Lembre-se: dezenas de pessoas – uma equipe inteira – só estão dependendo do seu trabalho para começar o delas. Se você atrasar, quantas pessoas vão atrasar o trabalho delas também?

6. Não usarás materiais de baixa qualidade

Sim, entendo que materiais artísticos custam caro. Mas tudo custa.

Em qualquer profissão, você tem que investir em equipamentos, roupas, uniformes, etc… Um terno pode custar a mesma coisa ou muito mais que uma caixa de lápis de cor de qualidade.

Uma frigideira profissional, por exemplo, custa muito mais caro que vários materiais artísticos.

As pessoas investem muito mais em outras coisas que em materiais artísticos ou cursos de aperfeiçoamento. Tinta e lápis de cor podem parecer investimentos ‘fúteis’, porque estão associados a lazer. Mas duram muito, e investir em materiais de qualidade vai fazer com que o seu trablho tenha um resultado profissional e com que tenha mais clientes, gerando assim mais renda e também um fluxo constante de clientes.

7. Jamais colocarás data na ilustração.

Após um ano vai parecer velha – e ultrapassada. E isso só por causa da data.

O mesmo pode se aplicar à assinatura. Evite assinar em toda ilustração. Embora seja uma obra sua, os clientes não querem sua assinatura em tudo que pedem pra você fazer. Pergunte antes ou fique muito muito famoso. Aí sim os clientes vão querer mais a sua assinatura que o seu trabalho artístico.

8. Não copiarás o trabalho de outro profissional

Tenha seu estilo, tenha personalidade, seja único! Ser diferente às vezes tem mais repercussão do que ser o melhor.

Você pode até olhar referências para se inspirar, mas faça do seu jeito. Você quer ser conhecido pelo seu próprio nome ou como ‘discípulo de’?

9. Sempre deixarás espaço para o texto!

Quando fazemos uma ilustração, a mesma é baseada num texto. E parte desse texto vai na página. Não podemos ilustrar a página toda sem deixar espaço para o texto.

Onde a editora vai colocar o texto se o seu desenho estiver tomando a página toda?

10. Não te satisfarás somente com o bom

Busque melhorar, aprenda mais, veja o que fazem os ilustradores que tem bastante trabalho. Será que eles não tem um algo a mais que somente o ‘talento’?

Não entendo por que quem desenha não tem interesse em se aperfeiçoar? Não é melhor fazer aprender coisas diferentes com outros profissionais? Por que nos resignamos ao fato de que basta ‘talento’ quando se trata de arte? Por que não buscar aperfeiçoamento?

Dedique-se. Continue a se aperfeiçoar e não ache que talento basta.

O trabalho do ilustrador é muito recompensador. É maravilhoso receber seu livro pronto e ver como ficou o resultado.

Mas não podemos parar. As tendências vem e vão, e temos que nos atualizar. E quanto mais soubermos sobre o assunto, mais chances teremos de conseguir trabalhos e viver fazendo o que amamos.

Muita gente me fala que basta ter talento para ser ilustrador. Eu não nasci desenhando. Todo bebê faz as mesmas garatujas. Nunca ouvi que alguém tenha nascido, deram um lápis para ele o bebê já desenhou igual a um Michelângelo.

Sim, algumas crianças desenham melhor que outras, mas isso é porque se interessam mais pelo assunto, passam mais tempo praticando, ainda que como lazer.

Bem como as crianças que jogam futebol desde pequenos. Treinam muito, aprendem fazendo, aplicando, e isso despretensiosamente, fazendo com que melhorem a cada dia, tendo prazer em melhorar por si próprios. Prazer em conseguir fazer algo melhor a cada dia.

Ainda assim alguns jogam melhor que outros, alguém dirá. Mas basta ver como é o treinamento de atletas nos EUA que vemos que ‘campeões’ são fruto de muito treino, disciplina e aquisição de habilidades.

E assim pode ser com o ilustrador também: disciplina, prática e aperfeiçoamento.

Para criar uma rotina diária, inscreva-se no Desafio Gratuito de Ilustração.

ACERTE NO ALVO!

No feriado, fui passar uns dias literalmente no “meio do mato“, para desconectar e descansar. De fato, até pegava um pouco do sinal de internet, mas quando eu ia abrir, aparecia uma mensagem que dizia mais ou menos assim:

“Falha no download

Não foi possível carregar essa mensagem. Tente novamente mais tarde”.

Enfim, foi um pouco frustrante, mas a gente descobre que existe vida desconectado também. Rsrs!

Por isso, aproveitei para realizar outras atividades. E uma delas foi – tentar – praticar arco e flecha.

E lá fomos nós: eu, meu marido e minha filha. Fomos de dois em dois, e no início só fiquei observando. Acredito que podemos aprender muito só olhando. E você?

Quando chegou a minha vez, pensei que já sabia tudinho, afinal já tinha visto eles atirarem umas 50 vezes. Rsrs! Mas foi só atirar a primeira flecha que percebi que a teoria e a prática são coisas bem diferentes. E mais: uma complementa a outra.

O professor estava nos acompanhando e orientando o tempo todo. E suas orientações foram de grande valia!

Quando ele viu que eu estava sofrendo ali para tentar acertar pelo menos dentro do alvo (e não nas árvores, animais e pessoas que por ali transitavam), veio me orientar. Me deu duas ou três dicas quanto a segurar o arco e como soltar a flecha.

Foram pequeníssimos ajustes e achei que não iria fazer a diferença. No entanto, para minha surpresa, acertei praticamente no alvo (e para surpresa dele também, pois disse ter sido a primeira fez que isso acontecia desde que estava trabalhando no lugar).

Enfim, o que isso me mostrou?

Que, além da teoria e da prática potencializarem os resultados, algumas dicas de um professor, ou mentor, alguém que te oriente no trabalho, podem mudar um resultado muito ruim, em algo que é quase perfeito.

Isso me fez pensar: quando temos um acompanhamento de alguém nos orientando, mesmo que já saibamos o que fazer, temos um olhar de fora, ou dicas e orientações de quem já percorreu a jornada por mais tempo, que já passou e superou obstáculos, e que pode alavancar nossos resultados.

Isso me fez pensar em como essa atividade e o que fazemos na Vivência do Ilustrador é parecido. Além de unir a teoria (aulas online) à prática (exercícios, esboço, ilustração para o livro, processo…), os alunos recebem dicas e orientações minhas para ter o melhor resultado possível na sua ilustração publicada, respeitando seu estilo pessoal.

E assim como a prática leva ao aperfeiçoamento no arco e flecha, publicar mais de uma vez nos leva a ter um olhar mais analítico, e vamos sedimentando o conhecimento em nosso trabalho, de forma que o que era difícil no começo, com o tempo passa a ser feito de modo tão automático, e se torna parte de nós e de nosso trabalho.

Por isso, minha sugestão hoje é não desistir até acertar no alvo, seja nos esportes, na vida pessoal ou profissional. 🙂

Um ilustrado final de semana!

a arca de noé – detalhes e comentários

Nos últimos dias, estive ilustrando a Arca de Noé para um álbum ilustrado.

Espero que goste! E se quiser aprender a ilustrar comigo, inscreva-se no meu curso online de ilustração infantil, Ateliê Ilustre, clicando AQUI.

O curso está todo gravado, com aulas, exercícios e tutoriais para você aprender a ilustrar com a técnica que eu desenvolvi. Assim que se inscrever, os dois primeiros módulos estarão liberados, e os demais (12 no total) serão liberados semana a semana.

Todo aluno do Curso Ateliê Ilustre poderá fazer Upgrade para a Vivência Fada Madrinha, onde publicamos um livro com textos e ilustrações dos alunos.

Vou abrir as inscrições para a Vivência somente em outubro ou novembro. Entretanto, se pretende participar, recomendo se inscrever no curso para ir adiantando as aulas. Além disso, os que já são alunos tem prioridade na participação. 🙂

Um ilustrado final de semana!

INSCREVA-SE AQUI!

ILUSTRAÇÃO DA CRIAÇÃO

Na semana passada, comecei mais um projeto. Esse trabalho trata de várias passagens bíblicas.

Serão 20 ilustrações e vou tentar postar um pouco de cada uma delas, em vídeo. Às vezes, eu esqueço de filmar e só pego uns pedacinhos, mas vou tentar filmar mais desse trabalho. 🙂

Um ilustrado final de semana!