Desenhando Personagens

Desenhar personagens é uma das coisas mais interessantes em ilustração. Para cada área de ilustração, tem um tipo mais característico de desenho.

Existem certas áreas de ilustração nas quais vemos que existem linhas e formas características, que são praticamente marca registrada desse tipo de desenho.

Em ilustração infantil, entretanto, há uma variedade enorme de traços, que diferem não só na faixa etária do livro, como também no estilo do ilustrador.

Eu uso olhos bem simples para minhas ilustrações, pois são voltadas a crianças pequenas. Mas podemos variar e fazer os mais diversos tipos de formatos e expressões.

Por isso, fiz um brainstorming de formatos de olhos, redondos e quadrados, e mais algumas formas.

O vídeo de olhos com formato mais arrendondado já postei aqui, e hoje vou postar o que fiz com olhos de formatos mais quadrados, retangulares, etc…

Esse vídeo foi feito com o objetivo de dar sugestões, como também mostrar como é o meu processo criativo. Espero que curta!

Por que tantos livros infantis tem animais como personagens?

Como eu comentei com os participantes do Desafio de Ilustração dessa semana, há muitos livros infantis, em especial livros estrangeiros, que utilizam animais como personagens.


Isso é algo que sempre me intrigou. Aprofundando-me no assunto, descobri que não há um consenso sobre o assunto e, na verdade, começou assim e acabou virando uma tradição, fortalecida pela Disney, onde os personagens são animais. Isso é algo que acho curioso: são animais que tem animais de estimação. 🙂


Entre as razões pelas quais se usam animais antropomorfizados*, encontrei algumas que vou explorar abaixo.


1. Nem sempre os livros infantis tinham como objetivo entreter. No início, a intenção era ensinar alguma moral ou conteúdo educacional. Acredita-se que tenha se iniciado a fazer livros com personagens animais para prender mais a atenção das crianças.

2. Acredita-se que, quando começaram a publicar livros para crianças, foi uma maneira de diferenciar dos livros para adultos. Os protagonistas humanos seriam para adultos e os protagonistas infantis, animais.


3. As crianças vêem as histórias com animais como fantasia, já que sabem que eles não falam nem agem como seres humanos, e é possível tratar temas mais complexos, como medo, perda e morte, por exemplo. Também é possível trabalhar temas como bullying, utilizando características dos animais sem usar características que o leitor possa vir a ter.


4. Animais são personagens mais interessantes, pois tem uma variedade de espécies muito grande, e eles tem muitas características. Orelhas humanas, pode exemplo, são praticamente iguais. Mas os animais tem não só orelhas diferentes, mas olhos, narizes, patas, etc, muito variados. Isso sem falar em características que nem temos, como rabos, por exemplo.


5. Os animais podem ter atitudes que não podemos, pois seriam condenáveis. Um lobo, querendo comer um outro animal, é aceitável num livro infantil, pois é de sua natureza.


6. Animais já tem suas características ‘reconhecidas’: o lobo é feroz, a cobra é venenosa, a coruja é observadora, os esquilos são rápidos e ágeis, e isso facilitaria na hora de definir a personalidade dos personagens, pois intuitivamente já sabemos como são antes mesmo de lermos a história.


7. O mundo animal não muda como o mundo do ser humano: eles continuam agindo da mesma forma, como sempre agiram, e isso daria estabilidade e segurança à criança.


8. Outro estudo sugere que crianças, assim como animais, são dependentes – subordinadas – ao ser humano adulto (eu achei essa explicação meio estranha, mas faz parte de uma tese).


9. As crianças tem o desejo de proteger os animais, e isso faria com que empatizassem mais com os personagens, facilitando a comunicação da mensagem.

Todas essas explicações são teorias, algumas com estudos aprofundados, mas até o momento, não há um consenso sobre isso. Na verdade, alguns estudos sugerem até que as crianças empatizam menos quando os personagens são animais.


Na minha opinião, quase todas as explicações tem algum fundamento. Mas a razão principal, a veu ver, é que, quando iniciaram a publicar livros para crianças, sabiam que estas se interessariam mais por animais e que teriam mais interesse na história. E assim, seria mais fácil atingir o objetivo dos pais (ensinar ou educar) e da própria editora (vender mais).


Por isso, é importante praticar o desenho e ilustração com animais, pois são personagens recorrentes na literatura infantil.

Se desejar se inscrever no Desafio de Ilustração Infantil, clique AQUI para saber mais e se inscrever.


……..


*Antropomorfizar: Dar forma ou características humanas a algo que não é humano.

Ano Novo – Vida Nova

Todo início de ano nos leva a novas resoluções… e esse ano não poderia ser diferente. 2021 será um ano de esperança. Esperança de dias melhores, em todas as áreas, mas principalmente na saúde.

Não sei se você viu, mas vamos iniciar um desafio de ilustração na segunda feira, dia 4 de janeiro. O objetivo é ajudar a criar a rotina de desenho diária e desenvolver melhor o traço. Quanto mais desenhamos, com consistência e constância, melhor a qualidade de nosso trabalho.

Eu acredito que, para chegar a um objetivo, temos que definir e cumprir pequenas tarefas todos os dias. E é isso que vamos fazer no nosso DESAFIO DE ILUSTRAÇÃO.

Se você quer dar esses pequenos passos, clique no link e se inscreva no Desafio de Ilustração de 30 dias. Todo dia você vai receber, gratuitamente, uma sugestão de tema para ilustrar. Inscreva-se clicando abaixo.

DESAFIO DE ILUSTRAÇÃO

Desejo a você um ILUSTRADO ANO NOVO!

DESAFIO DE ILUSTRAÇÃO – 30 dias

O ano está acabando… o que faremos de 2021?

Todo final de ano leva a reflexões… e esse não poderia ter sido mais atípico. Um ano de tanta incerteza, e com um futuro ainda nebuloso. Foi um ano difícil, não há quem discorde. Mesmo quem, porventura, possa ter se beneficiado da pandemia, acredito que todo mundo gostaria que tudo tivesse sido muito diferente.

Esse ano foi, para mim, como tem sido para a maioria das pessoas, um ano difícil, com familiares doentes, amigos que se foram… não foi fácil. Foi um ano de bastante trabalho também. Todos continuamos nossas vidas, apesar das tristezas e  dificuldades, momentos em hospitais, espera por notícias… momentos entremeados pelo cotidiano da vida moderna, afinal todos temos que trabalhar.

Mas sou grata. Grata a Deus pelos bons momentos. Pela família reunida. Pelos amigos e familiares que se recuperaram, por aqueles que ficaram curados. Grata porque tenho um trabalho onde posso fazer meu horário e trabalhar em casa, o que me permitiu não só fazer o que tinha que fazer, mas cuidar de meus familiares quando mais precisaram.

DESAFIO DE ILUSTRAÇÃO

Mas em 2021 quero começar de outra forma: impactando ainda mais a vida das pessoas. E por isso decidi ajudar quem me escreve a dar o próximo passo. E acredito que só conseguimos fazer algo quando ‘colocamos a mão na massa’. Por isso, ouso dar alguns conselhos para quem ainda não atingiu o objetivo que gostaria.

Aprendi comigo mesma que, dizer que quero fazer algo e não definir pequenos passos, não adianta nada. Temos que planejar os passinhos pequenos. Pense:

Que atitudes vou tomar hoje?

Não deixe passar um dia sem fazer algo que leve ao seu objetivo.  Adiar para amanhã não funciona. O amanhã ainda não existe, e pensar em fazer algo amanhã, pode acabar virando ‘fazer algo depois de amanhã’.

Somos todos procrastinadores. E por ser tão procrastinadora, aprendi , comigo mesma, que só funciona se eu ‘quebrar’  a tarefa grande em tarefinhas bem pequenas. Aí acabo fazendo não só o que determinei para aquele dia, como também alguma coisa a mais. E isso me dá aquela sensação de que eu fiz o que deveria ter feito, tarefa cumprida. Faço isso por 5 dias (dias da semana) e deixo o final de semana livre para poder curtir, descansar, ou até mesmo recuperar o que não fiz.

Comece pensando no primeiro passo. E qual é o primeiro passo? Como toda profissão, o ilustrador precisa ter certas habilidades, e a primeira delas é desenhar. Comece desenhando. Basta lápis e papel. Faça um desenho todo dia. Se você não conseguir fazer um desenho por dia, como poderá se tornar ilustrador profissional?

Então, para realmente fazer todos que me seguem colocarem a mão na massa, pensei em fazer  um desafio de ilustração.

Eu acredito que não estamos aqui para ver a vida passar, e todos temos algum objetivo. Acredito que vivemos para deixar nossa marca, impactar vidas. Quando fico sabendo que algo que fiz impactou a vida de alguém, e essa pessoa teve uma melhora em sua vida, sinto que o que faço tem mais sentido. E, como já disse por aqui, nós ilustradores podemos impactar a vida de milhares de crianças.

Parece uma coisa banal, dizer que pessoas que passam seus dias desenhando possam ter algum impacto na vida de outras. Mas, livros mudam vidas, e nós fazemos parte desse processo.

Por isso, eu pergunto: o que você tem feito para impactar o próximo?

Sei que teremos obstáculos. Eles fazem parte de nossas vidas. Mas creio que temos que confiar em Deus e pedir que Ele nos guie diante desses obstáculos que se apresentam.  A vida é como um vídeo-game: você precisa vencer os obstáculos para passar para a próxima fase. E na próxima fase, haverá obstáculos fáceis e outros ainda mais difíceis. Mas as recompensas também serão maiores!

Por isso, se você quer dar os primeiros passos, clique no botão e se inscreva no Desafio de Ilustração de 30 dias. Todo dia você vai receber, gratuitamente, uma sugestão de tema para ilustrar.

Iniciaremos, como as dietas, numa segunda feira: 4 de janeiro de 2021. Até lá!

Tutorial de Ilustração – Botinha de Natal

Como o Natal está se aproximando, fiz um tutorial de ilustração de uma botinha de Natal. Esse tutorial é para quem acredita que não sabe desenhar. Ensino do início ao fim, com traços bem simples, como você pode fazer essa ilustração e, quem sabe, até fazer alguns cartões de Natal para amigos. 🙂

Aproveitando, quero dizer que, a pedidos, as inscrições do meu curso online estão abertas por 3 dias, de 15 a 17 de dezembro. Saiba mais clicando no botão ou link abaixo.

www.atelieilustre.com.br